Romy Golan

Article

May 22, 2022

Romy Golan é uma historiadora de arte americana e professora do Programa de Doutorado em História da Arte do Centro de Pós-Graduação, CUNY. A sua investigação centra-se na arte moderna europeia, em particular na pintura francesa e italiana do período entre guerras e pós-guerra.

Educação e carreira

Golan completou seu doutorado no Courtauld Institute of Art, Londres em 1989. Antes de ingressar no corpo docente do The Graduate Centre em 1998, Golan ensinou no Vassar College (1987–2002) e na Universidade de Yale (1993–1998). O primeiro livro de Golan, Modernity e Nostalgia: Art and Politics in France between the Wars (1995) postula uma série de inversões entre vanguarda e retaguarda. Em um desafio à erudição tradicional na França do entreguerras, Golan argumentou que a pintura neotradicional belle peinture e a pintura modernista, o cosmopolitismo e a xenofobia, de fato, muitas vezes compartilhavam o mesmo palco. , Golan explorou a transmidialidade da imagem mural. O livro analisa pinturas murais, incluindo obras de Claude Monet, Mario Sironi e Pablo Picasso, que não estavam realmente convencidos de que pertenciam às paredes. Instalados de maneiras pouco ortodoxas, esses trabalhos públicos manifestaram uma ambivalência sobre sua identidade ideológica carregada. Seu livro mais recente é Flashback, Eclipse. O imaginário político da arte italiana na década de 1960 (Zone Books, 2021). Estruturado por duas formas de temporalidade não lineares e decididamente não presentistas, o flashback e o eclipse, este livro argumenta que a arte italiana da década de 1960 reimaginou a história italiana (e europeia), mas de forma oblíqua. A reimaginação ocorreu quando o modernismo no país foi anteriormente alinhado com o fascismo italiano. O trabalho curatorial de Golan inclui Encontros com a década de 1930 no Museo Reina Sofia em 2012 e Late Works de Avigdor Stematsky no Museu de Arte de Tel Aviv em 2008. Ela também contribuiu com catálogo ensaios para exposições, incluindo Le Paris de Dufy no Musée de Montmartre em 2021, Charlotte Perriand: Inventing a New World at the Fondation Louis Vuitton, Paris em 2019 e Postwar: Art between the Pacific and the Atlantic, 1945–1965 at the Haus der Kunst, Munique em 2016.

Funciona

Livros

Modernidade e nostalgia: arte e política na França entre as guerras (Yale University Press, 1995) Muralnomad: The Paradox of Wall Painting, Europa 1927–1957 (Yale University Press, 2009)Golan, Romy (2019). Muralnomad: Le paradoxe de l'image murale en Europe (1927-1957) (em francês). Traduzido por Yersin Legrand, Sophie. Paris: Edições Macula. ISBN 978-2-86589-103-0. Flashback, Eclipse: o imaginário político da arte italiana na década de 1960 (Zone Books, 2021)

Artigos e capítulos de livros selecionados

Golan, Romy (1 de janeiro de 2020). "Boogie Woogie em Roma (1953): Um quadro geopolítico". História da arte. doi: 10.1111/1467-8365.12530. S2CID 224907804. Golan, Romy (1 de janeiro de 2020). "O realismo fascista é um realismo mágico?". RES: Antropologia e Estética. 73–74: 221–237. doi: 10.1086/710830. S2CID 230713478. Golan, Romy (2018). "Contos de fadas monumentais: imagens murais durante o Ventennio". Post Zang Tumb Tuum. Arte Vida Política Itália 1918–1945. Milão: Fundação Prada. Golan, Romy (2017). "Campo Urbano: Episódios de uma História Não Escrita de Participação". Bruno Munari: A Leveza da Arte. Oxford: Peter Lang. Golan, Romy (2017). "Temporalités cachées dans Campo Urbano Transbordeur.pdf". Transbordeur: Photographie histoire société. Golan, Romy (2014). "Vitalidade do negativo/Negativo da vitalidade *". Outubro. 150: 113-132. doi:10.1162/OCTO_a_00203. S2CID 57568992.

Referências