Seleção Alemã de Futebol Feminino

Article

August 10, 2022

A Seleção Alemã de Futebol Feminino (em alemão: Deutsche Fußballnationalmannschaft der Frauen) representa a Alemanha no futebol feminino internacional. A equipe é governada pela Federação Alemã de Futebol (DFB). A seleção alemã é uma das mais bem sucedidas no futebol feminino. Eles são bicampeões mundiais, tendo vencido os torneios de 2003 e 2007. A equipe venceu oito dos treze Campeonatos da Europa da UEFA, conquistando seis títulos consecutivos entre 1995 e 2013. Eles, juntamente com a Holanda, são uma das duas nações que venceram o torneio europeu feminino e masculino. A Alemanha conquistou o ouro olímpico em 2016, depois de três medalhas de bronze consecutivas no Torneio Olímpico de Futebol Feminino, terminando em terceiro em 2000, 2004 e 2008. Birgit Prinz detém o recorde de mais jogos e é a maior artilheira de todos os tempos da equipe. Prinz também estabeleceu recordes internacionais; ela recebeu o prêmio de Jogadora do Ano da FIFA três vezes e é a segunda artilheira geral da Copa do Mundo Feminina. O futebol feminino foi recebido com ceticismo na Alemanha, e as partidas oficiais foram proibidas pela DFB até 1970. No entanto, a seleção feminina cresceu em popularidade desde que venceu a Copa do Mundo em 2003, quando foi escolhida como a Seleção Alemã de Esportes do Ano. . Em junho de 2022, a Alemanha ocupava o 2º lugar no Ranking Mundial Feminino da FIFA.

História

História inicial

Em 1955, a DFB decidiu proibir o futebol feminino em todos os seus clubes da Alemanha Ocidental. Em sua explicação, a DFB citou que "esse esporte combativo é fundamentalmente estranho à natureza das mulheres" e que "corpo e alma inevitavelmente sofreriam danos". Além disso, a "exibição do corpo viola a etiqueta e a decência". Apesar dessa proibição, mais de 150 partidas internacionais não oficiais foram disputadas nas décadas de 1950 e 1960. Em 30 de outubro de 1970, a proibição do futebol feminino foi levantada na convenção anual da DFB. Outras associações de futebol já haviam formado seleções nacionais femininas oficiais na década de 1970, a DFB por muito tempo permaneceu sem envolvimento no futebol feminino. Em 1981, Horst R. Schmidt, oficial da DFB, foi convidado a enviar uma equipe para o campeonato mundial não oficial de futebol feminino. Schmidt aceitou o convite, mas escondeu o fato de que a Alemanha Ocidental não tinha uma seleção feminina na época. Para evitar a humilhação, a DFB enviou o campeão alemão Bergisch Gladbach 09, que venceu o torneio e repetiu o mesmo feito três anos depois, em 1984. Vendo uma necessidade, a DFB criou a seleção feminina em 1982. O presidente da DFB, Hermann Neuberger nomeou Gero Bisanz, instrutor da Colônia Sports College, para montar a equipe.

1982–1994: Começos difíceis e primeiros títulos europeus

Em setembro de 1982, Bisanz organizou dois cursos de treinamento de olheiros, dos quais selecionou um elenco de 16 jogadores. A primeira partida internacional da equipe ocorreu em 10 de novembro de 1982 em Koblenz. Seguindo a tradição da seleção masculina, a Suíça foi escolhida como o primeiro adversário da Alemanha Ocidental. Doris Kresimon marcou o primeiro gol internacional aos 25 minutos. No segundo tempo, Silvia Neid, de 18 anos, contribuiu com dois gols para a vitória por 5 a 1; Neid mais tarde tornou-se o assistente técnico em 1996 e o ​​treinador principal em 2005. Com cinco empates e uma derrota, a Alemanha Ocidental não se classificou para o Campeonato Europeu inaugural de 1984, terminando em terceiro no grupo de qualificação. No início, o principal objetivo de Bisanz era diminuir a diferença para os países escandinavos e a Itália – então as equipes mais fortes da Europa. Ele enfatizou o treinamento em habilidades básicas e a necessidade de um programa eficaz para jovens. A partir de 1985, Bisanz convocou cada vez mais jogadores mais jovens, mas no início teve pouco sucesso com esse conceito, já que a Alemanha Ocidental novamente não se classificou para as finais do Campeonato Europeu de 1987. Invicto e sem sofrer gols, o time alemão se classificou para o Europeu Campeonato pela primeira vez em 1989; o torneio